O município irá garantir a segurança jurídica das famílias que habitam no imóvel em relação a moradia/Foto: Assessoria de Imprensa
O município irá garantir a segurança jurídica das famílias que habitam no imóvel em relação a moradia/Foto: Assessoria de Imprensa

Prefeitura de Joaçaba irá regularizar 52 imóveis

O município irá investir R$ 37 mil em recursos próprios para regularizar os imóveis.

Foi assinada na tarde desta quinta-feira (28), a Ordem de Serviço para execução dos serviços de regularização fundiária – REURB de 52 imóveis localizados no Bairro Villa Cordazzo, que são ocupados por famílias de baixa renda. A empresa que venceu a licitação é a Regular Regularizações Imobiliárias LTDA, que terá o prazo de oito meses para realizar o serviço. O município irá investir R$ 37 mil em recursos próprios para regularizar os imóveis.

De acordo com a Secretária de Assistência Social de Joaçaba, Sandra Pinheiro, com a regularização desses imóveis, o município irá garantir a segurança jurídica das famílias que habitam no imóvel em relação a moradia. “As dificuldades para a regularização de lotes adquiridos em parcelamentos de solo realizados no passado pelo município resultaram em ocupações e construções irregulares, formando núcleos urbanos informais. O objetivo do REURB é promover o levantamento de dados sociais de cada morador, áreas ocupadas, plantas de localização e situação, com respectivos memoriais descritivos, visando à moradia regular, garantindo a segurança jurídica quanto à situação de moradia”, afirmou Sandra.

São considerados Núcleos Urbanos Informais os assentamentos urbanos, compreendendo as ocupações e os parcelamentos irregulares, bem como outros processos informais de produção de lotes, ocupados predominantemente para fins de moradia e implantados sem autorização do titular de domínio ou sem aprovação dos órgãos competentes, em desacordo com a licença expedida ou sem o respectivo registro imobiliário. Apresentam normalmente dois tipos de irregularidade fundiária: irregularidade dominial, quando o possuidor ocupa uma terra pública ou privada, sem qualquer título que lhe dê garantia jurídica sobre essa posse; e urbanística e ambiental, quando o parcelamento não está de acordo com a legislação urbanística ou ambiental e não foi devidamente licenciado.

A legitimação fundiária será concedida ao beneficiário que não seja concessionário ou proprietário de imóvel urbano ou rural e não tenha sido contemplado com legitimação de posse ou fundiária de imóvel urbano com a mesma finalidade, ainda que situado em núcleo urbano distinto.

Compartilhe esta postagem

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Notícias Relacionadas

Faça uma pesquisa​​

Ultimas notícias