Mês é dedicado à conscientização do câncer de mama/Foto: Divulgação Internet
Mês é dedicado à conscientização do câncer de mama/Foto: Divulgação Internet

Outubro Rosa – Prevenção é o melhor caminho

O câncer de mama que, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer, atingirá mais de 59 mil mulheres neste ano

A campanha mundialmente conhecida como Outubro Rosa foca em ações para despertar os cuidados e prevenções contra o câncer de mama que, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), atingirá mais de 59 mil mulheres neste ano. Este o segundo tipo de câncer mais comum entre as mulheres no Brasil e no mundo, atrás apenas do de pele não melanoma, respondendo por cerca de 29% dos casos novos a cada ano.

Conforme o cirurgião oncológico Cristiano Vendrame, três pilares estratégicos são fundamentais no controle da doença: a prevenção primária (como reduzir o risco), o diagnóstico precoce (procurar um médico ao apresentar sinais e sintomas e também observar o próprio corpo, realizando o autoexame) e a mamografia (para mulheres de 50 a 69 anos é recomendada a realização de uma mamografia de rastreamento a cada dois anos). 

“A doença não tem somente uma causa, mas a idade é um dos mais importantes fatores de risco para o seu surgimento – cerca de quatro em cada cinco casos ocorrem após os 50 anos. Hábitos de vida estão intimamente ligados ao desenvolvimento do câncer de mama, como sedentarismo, consumo excessivo de bebida alcoólica e obesidade ou sobrepeso após a menopausa. Entretanto, outros fatores hormonais e hereditários também aumentam o risco, como histórico familiar, alterações genéticas e uso de contraceptivos hormonais”, explica Dr. Vendrame.

Conforme o médico, a alimentação é fundamental para a prevenção e o tratamento do câncer. Dados do Inca mostram que 20% dos casos da doença nos países em desenvolvimento, como o Brasil, e 35% das mortes por ela são causados por uma dieta inadequada. Uma ingestão rica em alimentos de origem vegetal como frutas, legumes, verduras, cereais integrais, feijões e outras leguminosas, e pobre em alimentos ultraprocessados, como aqueles prontos para consumo ou prontos para aquecer e bebidas açucaradas, podem prevenir novos casos de câncer.

“Já em pacientes oncológicos, pode ocorrer desnutrição calórica e proteica, pois o próprio tumor gera uma demanda por consumo de nutrientes presentes no organismo. Além disso, a doença pode dificultar o processamento de carboidratos, proteínas e lipídios e causar perda de apetite”, orienta a nutricionista oncológica, Emanuela Schirmer.

Fonte: Carol Bonamigo Assessoria

Compartilhe esta postagem

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Notícias Relacionadas

Faça uma pesquisa​​

Ultimas notícias