O senador catarinense destacou a ampliação do limite de faturamento para os pequenos negócios/Foto: Divulgação Internet
O senador catarinense destacou a ampliação do limite de faturamento para os pequenos negócios/Foto: Divulgação Internet

Senador Jorginho Mello foi escolhido para continuar na presidência da Frente Parlamentar da Micro e Pequena Empresa

A Frente da Micro e Pequena Empresa é a maior do Congresso Nacional, com mais de 300 deputados e senadores compondo a bancada

A Frente da Micro e Pequena Empresa é a maior do Congresso Nacional, com mais de 300 deputados e senadores compondo a bancada. Desde 1998, quando foi criada, o grupo conquistou a sanção de oito leis que resultaram em um saldo positivo de 11,6 milhões de novos postos de trabalho. “São projetos de lei que buscam diminuir os impostos, a burocracia, facilitar o acesso ao crédito e fomentar o empreendedorismo”, ressaltou o senador Jorginho Mello.

Desde a aprovação do Estatuto da Micro e Pequena Empresa, em 2006, cresce a participação do Legislativo no processo de fortalecimento dos pequenos negócios no Brasil. O senador catarinense destacou a ampliação do limite de faturamento para os pequenos negócios continuarem enquadrados no Simples Nacional e a aprovação do primeiro REFIS da história das micro e pequenas no Brasil. Neste período, as micro e pequenas empresas obtiveram um saldo positivo na geração de empregos, saldo na balança comercial e diversos outros resultados positivos para a economia do Brasil

Ex-ministro da Micro e Pequena Empresa e atual assessor especial do Ministério da Economia, Guilherme Afif Domingos festejou a recondução do senador Jorginho Mello na condução da Frente Parlamentar. “Toda regra de defesa das micro e pequenas empresas nasceu no Legislativo e o senador Jorginho Mello tem um papel fundamental nessa história”, exaltou.

Presente a um evento da Frente Parlamentar pela primeira vez, o presidente da Confederação Nacional das Indústrias (CNI), Paulo Afonso Ferreira, reforçou o apoio da entidade “ao setor que mais gera empregos no país”. Paulo Afonso também disse estar ao lado dos componentes da Frente no apoio à agenda e ás reformas positivas ao setor. O diretor técnico do Sebrae Nacional, Carlos Melles, afirmou que o Sebrae “está de coração investido na defesa das MPE”, e que portanto, “se sentia mais do que obrigado a apoiar a Frente das MPE´s no Congresso Nacional”.

Governo Federal

Representando o ministro da Economia Paulo Guedes, o secretário especial Carlos da Costa prometeu “iniciar uma nova fase na economia do pais afim de melhorar o ambiente de negócios para as micro e pequenas empresas. O secretário antecipou apoio a projeto de lei de simplificação das relações trabalhistas a ser apresentado em breve pelo senador Jorginho Mello e mudanças no E-Social, “que atrapalha muito, particularmente o microempreendedor”. Finalmente o secretário anunciou para breve o lançamento do programa Empresa Nasce Legal, que permitirá a abertura imediata de empresas independente de análise de risco.

Também marcaram presença o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto; o secretário especial da Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, e o subsecretário de desenvolvimento da Micro e Pequena Empresa, Empreendedores e Artesanato, Jose Ricardo da Veiga.

Fonte: Assessoria de Imprensa Senador Jorginho Mello

Compartilhe esta postagem

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Notícias Relacionadas

Faça uma pesquisa​​

Ultimas notícias