Jorginho Melo
Jorginho Melo

Jorginho Mello defende e quer aprovar a reforma da previdência

O senador voltou a se manifestar pela reforma do Estado para desburocratização dos serviços

O senador Jorginho Melo, presidente estadual do PR, está defendendo e quer aprovar a reforma da previdência, que considera fundamental para viabilizar o crescimento, gerando emprego e renda.

Durante palestra na Loja Maçônica Cordialidade, o parlamentar fez reparos ao projeto enviado pelo governo, anunciando ter posição contrária ao princípio da capitalização.  Justificou: “Isto vai beneficiar os bancos, que já mamaram demais”.

Declarou voto favorável ao reajuste  dos militares, alegando que eles estão com os salários defasados. “No Brasil, promotores de Justiça ganham mais que um general do Exército”, afirmou, ao defender uma revisão dos agentes políticos que recebem acima do teto de 33 mil reais.

O senador voltou a se manifestar pela reforma do Estado para desburocratização dos serviços, agilidade com informatização e simplificação do sistema tributário. Revelou que o Secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, tem a determinação de criar o Imposto Único, que vai incentivar a criação de novas empresas.

Outra afirmação categórica: “Estados e municípios estão quebrados. 98% dos municípios brasileiros, de São Paulo, para cima estão falidos”. Advogou ações concretas de parlamentares e políticos, destacando: “Discurso não gera emprego”.

​O senador Jorginho Melo, presidente estadual do PR, está defendendo e quer aprovar a reforma da previdência, que considera fundamental para viabilizar o crescimento, gerando emprego e renda.

Durante palestra na Loja Maçônica Cordialidade, o parlamentar fez reparos ao projeto enviado pelo governo, anunciando ter posição contrária ao princípio da capitalização.  Justificou: “Isto vai beneficiar os bancos, que já mamaram demais”.

Declarou voto favorável ao reajuste  dos militares, alegando que eles estão com os salários defasados. “No Brasil, promotores de Justiça ganham mais que um general do Exército”, afirmou, ao defender uma revisão dos agentes políticos que recebem acima do teto de 33 mil reais.

O senador voltou a se manifestar pela reforma do Estado para desburocratização dos serviços, agilidade com informatização e simplificação do sistema tributário. Revelou que o Secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, tem a determinação de criar o Imposto Único, que vai incentivar a criação de novas empresas.

Outra afirmação categórica: “Estados e municípios estão quebrados. 98% dos municípios brasileiros, de São Paulo, para cima estão falidos”. Advogou ações concretas de parlamentares e políticos, destacando: “Discurso não gera emprego”.

Fonte: NSC Total

Compartilhe esta postagem

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Notícias Relacionadas

Faça uma pesquisa​​

Ultimas notícias