Fapesc e Acafe vão investir R$ 3,85 milhões em grupos de pesquisa
Fapesc e Acafe vão investir R$ 3,85 milhões em grupos de pesquisa

Fapesc e Acafe vão investir R$ 3,85 milhões em grupos de pesquisa

Apoiar pesquisas em Ciência, Tecnologia e Inovação (CTI) dos grupos de pesquisa das instituições de ensino superior vinculadas à Associação Catarinense das Fundações Educacionais (Acafe). Esse é o objetivo de uma chamada pública, organizada pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina (Fapesc), com valor global de R$ 3,85 milhões.  

As propostas devem ser submetidas na plataforma da Fapesc entre 22 e 30 de junho de 2021. Antes desta etapa, no entanto, precisam ser pré-selecionadas em editais internos de cada uma das 11 instituições. Os projetos receberão recursos entre R$ 30 mil e R$ 260 mil. Confira o edital aqui.

Este é o terceiro edital realizado em parceria entre as duas instituições voltado para os grupos de pesquisa. A segunda chamada pública, lançada em 2017, ainda está em andamento. Os resultados da edição de 2015 mostram a força da iniciativa. Os 85 projetos resultaram em 1.626 produções científicas.

Foram publicados 152 artigos em periódicos e revistas científicas nacionais e internacionais, 166 capítulos de livros, 56 mapas, cartilhas e manuais e 268 trabalhos em eventos no Brasil e no exterior. Além disso, as pesquisas geraram aproximadamente 190 trabalhos de conclusão, desde monografias até teses de doutorado.  

Também foram desenvolvidos 28 novos processos, produtos e metodologias e 33 produtos e processos foram melhorados, além do pedido de uma patente. Ocorreram ainda 14 eventos com o apoio da Fapesc, com mais de 500 participantes e 425 trabalhos apresentados em encontros regionais, nacionais e internacionais.

A pesquisa conduzida pela professora Carolina Krebs de Souza, do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química da Universidade Regional de Blumenau (Furb), é um exemplo da importância da chamada pública. Com o título “Predição Físico-Química e Microbiológica Durante Fabricação de Kochkase para Otimização das Condições de Processo”, o estudo trouxe resultados teóricos e práticos sobre este tipo de queijo tradicional produzido por descendentes de alemães. 

“Os resultados contribuíram com outras pesquisas que já estavam acontecendo. E, como desdobramento principal, tivemos a publicação da portaria que aprova o regulamento técnico de qualidade e identidade do queijo Kochkase. O regulamento, além de orientar e permitir que os produtores fabriquem e comercializem o produto elaborado a partir de leite cru ou leite pasteurizado, contribui para a consolidação, valorização, notoriedade e perpetuação da identidade do Kochkase como patrimônio cultural imaterial do município de Blumenau”, explicou a pesquisadora. 

AVANÇO DA CIÊNCIA

O presidente da Fapesc, Fábio Zabot Holthausen, salienta que a fundação está em articulação e coordenação com todas as universidades públicas e comunitárias do estado. “O fomento e incentivo aos pesquisadores e à geração de desafios e oportunidades são essenciais para o avanço do conhecimento e para o desenvolvimento econômico sustentável. Países que tiveram grande crescimento e desenvolvimento apostaram na educação e na Ciência, Tecnologia e Inovação. Santa Catarina tem seguido este caminho, e a Fapesc orgulha-se de ser a executora da Política Catarinense de CTI em seus quase 25 anos de existência.”

Este edital representa mais uma parceria com o Sistema Acafe. “Novas descobertas científicas, produtos e processos inovadores, geração de renda, atração de talentos, avanço do conhecimento científico, etc. são alguns dos resultados e impactos que esperamos com esta parceria. Deixo um agradecimento especial aos pesquisadores e aos reitores das universidades do sistema Acafe pela confiança e colaboração”, afirma Holthausen. 

A IMPORTÂNCIA DO APOIO 

Para o professor Aristides Cimadon, presidente do Sistema Acafe e reitor da Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc), a chamada pública é a materialização da missão da Fapesc. “Por meio da chamada pública, a Fapesc cumpre seu importante papel de promotora do ecossistema catarinense de CTI, integrando os principais centros de pesquisa do Estado de Santa Catarina. A relação entre as agências de fomento e as universidades são uma simbiose perfeita para impulsionar o ecossistema catarinense.”

Luciane Ceretta, vice-presidente do Sistema Acafe e reitora da Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc), destaca que o edital é um marco para as instituições comunitárias. “O apoio da Fapesc com recursos para os editais de grupos de pesquisas em parceria com as universidades comunitárias é fundamental para a continuidade da produção da ciência de excelência que as nossas instituições comunitárias têm produzido ao longo dos anos e que carecem, obviamente, de recursos para dar continuidade a projetos de tamanho impacto social como estes que estão sendo desenvolvidos.” 

De acordo com o reitor da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó), Claudio Alcides Jacoski, o edital do programa CTI é um incentivo e também uma oportunidade para que as instituições que compõem o Sistema possam desenvolver pesquisas e buscar por soluções de problemas reais da região onde estão inseridas. “É um trabalho colaborativo importante, que fortalece os ecossistemas de inovação das regiões e reforça o objetivo comum entre Fapesc e Acafe, que é atuar pela formação, ciência, tecnologia e inovação em prol do desenvolvimento de Santa Catarina”. 

O reitor da Universidade da Região de Joinville (Univille), Alexandre Cidral, também destaca a importância da parceria com a Fapesc. “A Univille tem em sua missão o compromisso com a sustentabilidade socioambiental das comunidades em que se insere, desenvolvendo atividades de Ensino, Pesquisa, Extensão e Inovação. A parceria com a Fapesc é fator decisivo para o desenvolvimento de projetos que promovem a busca de soluções para questões estratégicas para nosso Estado.” 

A reitora da Furb, Marcia Cristina Sardá Espindola, salienta a importância dos recursos para a pesquisa. “Do ponto de vista da universidade, trata-se de recursos fundamentais investidos no fortalecimento da investigação científica, na produção de conhecimento e na formação de quadros de alto nível, portanto uma ação de alta densidade. A parceria Furb nesta chamada pública é parte de nossa política integrada de pesquisa e pós-graduação.” 

A Fapesc e a Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) também lançaram uma chamada pública voltada para os grupos de pesquisa, cujas inscrições podem ser realizadas entre 21 de julho e 5 de agosto na plataforma da fundação – antes disso precisam ser selecionadas em edital interno da universidade. 

Além do Sistema Acafe e da UFFS, já foram lançadas chamadas públicas voltadas para os grupos de pesquisa do Instituto Federal Catarinense (IFC); Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC); Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). O total de investimento chega a R$ 10,55 milhões.

Fonte: Assessoria de Imprensa UNOESC

Click na Home e escolha o idioma para sua leitura….
https://bomdiasc.com.br
@bomdiasantacatarina

Compartilhe esta postagem

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Notícias Relacionadas

Faça uma pesquisa​​

Ultimas notícias