Portos & Praias Doces
Porto Figueira

Portos & Praias Doces

O Paraná é um dos estados brasileiros mais ricos, em rios e lagos propícios a exploração, de diferentes modalidades do Turismo.
Pela imensidão de suas áreas naturais, ganha dia a dia valorização crescente, diante da pandemia do Covid19.
Quando presidi a Paraná Turismo (2015-2018), pude colocar o tema das Águas Doces, entre as áreas estratégicas para o Desenvolvimento do Turismo Paranaense.

Vamos fazer a Rota dos Portos para aproximar o turista da descoberta do novo, oferecido pelas melhores praias, do rio Paraná. Tal fato confere a região turística Corredores das Águas o destino singular, por ser a Terra do Litoral das Águas Doces.

Cidade de Porto Rico

Neste trecho sem barragens, o rio Paraná corre livre e solto, celebrando assim sua despedida como rio vivo, do Brasil.
As praias são naturais, em ilhas que tenham faixa de areia ou pela formação de bancos de areia, que se projetam na superfície, quando baixa o nível das águas do rio.
A beleza paisagística, para ser curtida, deve observar o máximo de segurança, pois o perigo pode estar rondando nos bancos de areia, onde quanto menos se espera, ocorre variação brusca na profundidade, com o agravo de estarmos em águas com correnteza, que marca o rio Paraná.
O turista deverá estar preferencialmente acompanhado de um condutor local, que saberá muito bem, como evitar os lugares críticos e, assim curtir a sensação única, de poder caminhar e banhar-se na água doce.
Nas ilhas com praias o risco é menor, devendo para tal ser observado a sinalização preventiva, que indica mudanças de profundidade.
Prestando atenção aos limites e estar acompanhado por gente que conheça o local, o turista terá confiança para desfrutar o litoral das águas doces.

Encontro dos Rios Paranapanema e Paraná

Sugerimos passar por seis portos fluviais, começando pelo município de Marilena, de onde rumamos para o Porto Maringá, que permite poder avistar, o encontro das águas dos rios Paraná e Paranapanema.
Este porto que teve seu início com a extração de areia, recebeu nos últimos anos investimentos imobiliários com inúmeros condomínios turísticos, que convivem com a Vila dos Pescadores. 
Marilena é conhecida como Cidade “Menina dos Rios”, por lei municipal, fruto da minha proposição para marcar o endereço turístico, do encontro de dois importantes rios brasileiros.
De barco e com uso de colete salva-vidas, o turista pode acessar a   Ilha Guadalupe, ou Ilha do Amor.
Esta ilha é conhecida também como a Ilha dos Pneus, pois com a variação brusca no  fluxo de águas, da barragem da Usina Primavera SP-MS, o impacto das águas estava desgastando o solo dessa ilha, quando um grupo de amigos do rio, trabalharam a ideia de fazer um cinturão, com pneus usados de caminhões e que foram preenchidos com concreto e fixados em colunas, tal medida evitou o seu desaparecimento.

Nessa ilha o turista poderá usufruir de um deck em madeira Peroba, que foi possível com o resgate de toras, afundadas durante a travessia do rio, quando havia a exploração comercial desta árvore.

Ilha Guadalupe

De Marilena rio abaixo, o destino é o Porto São José onde o turista poderá conhecer o atrativo da estrutura da tecnologia ambiental, da APA-Associação dos Portos de Areia – modelo brasileiro de extração sustentável de areia, para a indústria da construção civil.
Este empreendimento associativo, tornou-se um paradigma pelo florestamento exitoso das margens do rio Paraná, passando a abrigar a fauna com a mata nativa (florestada) e ser ponto de abrigo para animais em fuga, quando da ocorrência de cheias do rio Paraná.
O Porto São José, Distrito do município de São Pedro do Paraná, tem posto de combustível e mercados. Com estruturas e serviços de condomínios, marinas, pousadas, restaurantes e casas de aluguel. Tem o diferencial de uma orla urbanizada, para contemplação das belezas das águas, de voos de araras vermelhas, de encantos do pôr do sol, sendo suporte da prainha no “continente”, sem que se precise usar barcos para o desfrute.

Aproveitando a estada, o turista pode conhecer e usar os serviços da balsa de travessia para o Mato Grosso do Sul, admirando o rio Paraná correndo livre e solto, em apenas um canal, o que torna possível enxergar o outro lado da margem do MS ou PR.

Feitas essas considerações, o turista usando serviços de barco, vai poder ir a Ilha Mineira e curtir o sol & praia.

Praia Mineira

Sempre descendo o rio, chegaremos ao município de Porto Rico que é o ícone das águas doces do Estado do Paraná.
Trata-se do único Porto, que está localizado na parte urbana da cidade, por conta disso, oferece estrutura completa de Balneário de Lazer & Turismo. 
Um destino top, tendo o maior número de Condomínios de segunda residência e expressiva frota náutica.
Parque Aquático, Marinas, Resort, Hotel, Pousadas, Restaurantes e Cooperativa de Barcos para Transporte, mostram a riqueza desse Porto.
Oferecendo ainda serviços de saúde, banco, postos de combustível, lojas de conveniência, comércio variado, mercados e outros.

Praia Santa Rosa

O turista poderá fazer passeios de barco e optar entre as Praias Santa Rosa ou Carioca, dando vazão as emoções, sem irritação nos olhos-pois as águas são doces!

Praia Carioca

De Porto a Porto, continuamos descendo o Rio Paraná e vamos até a um dos cinco portos do município de Querência do Norte.
Agora o destino é o Porto Dezoito, com condomínio, restaurante, pousadas e serviços de condução e transporte fluvial, onde a indicação é a Praia Bela.
O município de Querência do Norte tem 60 km de rio Paraná, com mais de 40 ilhas, com muitas opções de praias em bancos de areia e em ilhas, que o turista poderá se programar numa outra oportunidade, quando retornar as terras querencianas.
É importante registrar que esse município, tem como marca ser o Destino Agro Rios, integrando os multi-atrativos das águas dos rios Ivaí e Paraná, com os atrativos eco rurais do maior número de assentamentos da reforma agrária no Paraná.

E como dica, conhecer a família do Mestre Pescador Tião Paçoca, que presta serviços no Turismo de Pesca, como uma opção em complemento ao Turismo de Sol & Praia.

Praia Bela

Assim, vamos descendo o rio Paraná, cruzando a Foz do Rio Ivaí, chegaremos ao município de Icaraíma.

É bom lembrar que o rio Ivaí é o maior rio vivo do Estado do Paraná, nascendo em Prudentópolis, percorre o trecho de 685 km até a sua foz. 
Uma explicação, a expressão “rio vivo” deve-se ao fato de o Rio Ivaí não ter nenhuma barragem em seu curso.

Encontro rio Ivaí e rio Paraná – foto Anderson Theodoro

Agora o destino é Porto Camargo, que também oferece boa estrutura de apoio como: marinas, pousadas, restaurantes e outros.
Sempre com os serviços de um barqueiro – em sua maioria são pescadores experientes no rio – vamos até a Praia do Meião – um show de beleza e grandeza.

Praia do Meião (foto Juninho Drone)

No município de Icaraíma, temos também o atrativo do majestoso Paredão das Araras, que leva este nome por ter sido um criatório natural das araras.

Paredão das Araras

Do Porto Camargo pode-se visualizar a grande obra da engenharia brasileira, uma das mais arrojadas do Paraná, um complexo de travessia com 16 km, com pontes entre ilhas, fazendo a integração com o estado de Mato Grosso do Sul, pelo município de Naviraí.

Saindo de Porto Camargo, rio abaixo, nas águas do Parque Nacional da Ilha Grande, vamos conhecer um dos mais belos portos, o Porto Figueira, no município de Alto Paraíso.

Porto Figueira

Este Porto ganhou notoriedade pela tradicional Pesca a Piapara, e é onde começa a Ilha Grande, com 120 km de extensão e que deu nome ao Parque.  
Na Ilha Grande temos muitas lagoas naturais, que são santuários ecológicos.

E concluindo a Rota dos Portos com as melhores praias do Rio Paraná, sempre com barqueiro e colete salva-vidas, o turista poderá curtir as delícias da Praia do Marçal.

Praia do Marçal – Erick Xavier

Como vimos, porto a porto, o turista tem bons motivos para turistar e descobrir o Litoral das Águas Doces, com balneários naturais, conhecendo riquezas da biodiversidade, em dezenas de ilhas com fauna e flora.

Ah, e o grande diferencial, atendimento cordial dos ribeirinhos e sem as aglomerações comuns em nossos litorais.  Vamos nessa!!!

Jacó Gimennes, 66 anos, Fundador da RETUR, Presidiu a Paraná Turismo, dedica-se a Cultura do Desenvolvimento pelo Turismo e Coordena o Instituto Prosperare.

Deixe uma resposta