João Carlos Di Domenico - Presidente da Cooperativa Agropecuária Camponovense
João Carlos Di Domenico - Presidente da Cooperativa Agropecuária Camponovense

Presidente da Coocam fala sobre projeto de incentivo ao plantio de cereais de inverno

O Estado de Santa Catarina importa cerca de quatro milhões de toneladas de milho anualmente, sendo um dos maiores importadores do Brasil. Os grãos vêm de outros estados e países. Com base nessa escassez, há cerca de quatro anos, um grupo de liderança do setor vem discutindo alternativas e tentando encontrar soluções para o déficit que as regiões produtoras de proteína animal enfrentam. Entre as opções dessa busca constante de matéria-prima para as agroindústrias, está a inclusão de cereais de inverno na composição da ração animal.

O presidente da Cooperativa Agropecuária Camponovense (Coocam), João Carlos Di Domenico, é uma das lideranças que acompanha todo o processo desde o início das tratativas. Em entrevista para meios de comunicação local, estadual e nacional, João Carlos falou nesta semana, sobre o incentivo anunciado pelo governo estadual, por meio da Secretaria de Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural de Santa Catarina, a qual informou sua pretensão por meio de incentivos financeiros – ampliar em 20 mil hectares a área plantada com cereais de inverno. A subvenção é de R$ 250,00 por hectare efetivamente plantado com cereais de inverno, num limite de 10 hectares por produtor.

“Quero parabenizar o Governo de nosso Estado pela efetivação desse Projeto de Incentivo ao Plantio de Cereais de Inverno Destinados à Produção de Grãos – está ação é o início de muitas. Os produtores rurais precisam de incentivos na prática, para voltarem a plantar cereais de inverno e assim, sanar parte dos problemas que as agroindústrias do Sul do Brasil vêm enfrentando há anos”, comenta o presidente da Coocam.

Di Domenico ressalta ainda, sobre a importância das pesquisas que vem sendo feitas pela Embrapa e Epagri. “Nós temos todos os ingredientes para fazer o bolo, o que nos falta é genética de trigo para ração, pois, ainda estamos usando o trigo com característica genética para pão. Acredito que logo teremos um cereal especifico para ração animal”, observa o presidente da Coocam.

Os debates do problema da cadeia produtiva catarinense, tem a participação direta de representantes da agroindústria e do governo, assim como a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a Federação das Cooperativas de Santa Catarina (Fecoagro) – iniciaram há cerca de quatro anos, por meio de reuniões e fóruns com discussões de possíveis alternativas para sanar o problema da cadeia produtiva catarinense. O Canal Rural, através do Fórum Mais Milho, já organizou diversos painéis para debater o assunto.

Nesta semana, João Carlos Di Domenico participou do Jornal 1420 da Rádio Cultura de Campos Novos (terça-feira, 04); do Programa Ligados e Integrados, do Canal Rural (quarta-feira, 05) e no final de semana estará participando do Programa Cooperativismo em Notícia, no SBT Santa Catarina, domingo às 9h30; na Record News, no sábado às  13h e no Canal Rural às 8h30.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Click na Home e escolha o idioma para sua leitura….
https://bomdiasc.com.br
@bomdiasantacatarina

Compartilhe esta postagem

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Notícias Relacionadas

Faça uma pesquisa​​

Ultimas notícias