Apesar do ajuste para baixo, o presidente do Ipea, Carlos von Doellinger, destacou que o resultado ainda será positivo/Foto: Internet
Apesar do ajuste para baixo, o presidente do Ipea, Carlos von Doellinger, destacou que o resultado ainda será positivo/Foto: Internet

PIB agropecuário crescerá menos, diz Ipea

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) reduziu sua projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) Agropecuário em 2020 para 1,5%. No mês passado, a estimativa era de alta de 1,9%. A queda foi justificada, principalmente, pela produção menor de carne bovina e por problemas em segmentos como aquicultura e florestas.

Apesar do ajuste para baixo, o presidente do Ipea, Carlos von Doellinger, destacou que o resultado ainda será positivo e haverá reflexos para a economia em geral. “Vamos poder contar com o agro para as nossas perspectivas de crescimento”, disse ele, durante apresentação da Carta de Conjuntura do instituto, divulgada ontem.

Os três componentes que influenciam a previsão do Ipea sofreram alguma deterioração. O valor adicionado das lavouras foi o único que se manteve em alta, mas teve o avanço reduzido de 3,9% para 3,8% por causa da safra de trigo, que deve ser menor que a estimada anteriormente. As safras de soja, milho, café e cana sustentam o desempenho positivo dessa categoria.

O valor adicionado da pecuária também foi revisto para baixo. A queda estimada passou a ser de 2%, ante projeção de baixa de 1,5% anunciada em outubro. Isso por causa do recuo mais forte da produção de carne bovina no terceiro trimestre (5,5%), em que pese as demais proteínas apresentem perspectivas de alta para 2020 – carne suína (8%), aves (0,2%) e ovos (2,8%).

“Em função do elevado volume de exportações para a China em 2019 e 2020, houve uma forte alta do abate de animais mais jovens – novilhos e, principalmente, novilhas. Para recompor o rebanho, o pecuarista reduziu o abate de matrizes e futuras matrizes. Esse movimento, aliado a uma menor demanda interna por carne de cortes mais nobres por conta da pandemia do novo coronavírus, tem contribuído para a menor produção de carne bovina em 2020”, afirma a Carta de Conjuntura.

O componente “outros” apresentou revisão ainda mais forte. Antes calculada em 6,4%, a queda passou a ser prevista em 9,4%. Segundo o Ipea, o resultado se deve ao fraco desempenho da produção de pesca e aquicultura no ano.

Para 2021, a estimativa do Ipea para o avanço do PIB da agropecuária caiu de 2,1% para 1,2%. Apesar das projeções de safras recorde de soja e milho, as quedas nas culturas de arroz, algodão, café e – principalmente – laranja devem limitar a elevação do valor adicionado das lavouras, agora prevista em 0,4%.

Por outro lado, a pecuária pode apresentar forte recuperação, com incremento de 4,4%, puxado por todos os principais segmentos (bovinos, suínos, frangos, leite e ovos). No novo cenário traçado para 2021, o Ipea considerou as mais recentes estimativas de produção agrícola do IBGE, da Conab e da FAO/ONU.

Fonte: Valor Econômico

Click na Home e escolha o idioma para sua leitura….
https://bomdiasc.com.br
@bomdiasantacatarina

Compartilhe esta postagem

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Notícias Relacionadas

Faça uma pesquisa​​

Ultimas notícias