Os produtores rurais da região de Campos Novos optaram pela prática de cobertura de solo/Foto: Assessoria
Os produtores rurais da região de Campos Novos optaram pela prática de cobertura de solo/Foto: Assessoria

No inverno a proteção do solo é fundamental

A principal orientação dos profissionais técnicos especializados é não deixar a área produtiva desprotegida

Cultivar cereais de inverno para comercialização não tem sido um bom negócio e não é de hoje – o que cada vez mais, leva os produtores rurais da região de Campos Novos optarem pela prática de cobertura de solo, tornando essa alternativa como principal opção, já que é necessário manter o solo coberto – uma maneira de proteger o terreno, apostando em mais produtividade na safra de verão. No inverno, a principal orientação dos profissionais técnicos especializados é não deixar a área produtiva desprotegida.

As dificuldades encontradas e os desincentivos para produção de cereais para comercialização, vão além do que está ao alcance do homem do campo. Instabilidade climática, altos custos para plantar e baixo preço no momento da comercialização, são alguns dos desafios enfrentados pelos agricultores. O vice-presidente da Coocam, Riscala Miguel Fadel Junior lembra que os produtores da cooperativa já chegaram plantar quase 10 mil hectares de trigo em safras passadas e hoje utilizam menos de 10% das áreas da safra de verão para plantas comerciais no inverno.

Embora 90% das áreas de verão não estejam sendo usadas comercialmente neste período, a proteção do solo é fundamental. De acordo com Riscala Miguel Fadel Junior, a Coocam incentiva os associados para as boas práticas de proteção do solo, inclusive oferecendo variedades de coberturas com melhor adaptação para o clima da região. “Nós incentivamos essa prática aqui na Coocam, inclusive trazendo opções de variedades de cobertura de solo, adaptáveis para nosso clima. Se pensar somente em área comercial e esquecer-se da cobertura, certamente o produtor terá prejuízos na safra de verão”, orienta.

Junior aponta dois resultados importantes ao proteger as áreas produtivas durante os meses com maior instabilidade climática. “Mesmo que o investimento de cobertura seja um valor alto é importante realizar a prática, uma maneira de evitar erosão e consequentemente prejuízos. Outra vantagem é que a cobertura se transformar em matéria orgânica, atuando como fertilizante e assim, haverá correção de solo e o produtor terá mais chances de ter uma safra de verão melhor”, reforça.

Os produtores da Coocam da região de abrangência da matriz da cooperativa, plantaram em torno de 1500 hectares de trigo comercial e cerca de 1000 hectares de aveia para sementes, além de uma pequena área utilizada para gado no consórcio lavoura e pecuária. O restante, em torno de 35 mil hectares de lavouras dos associados da Coocam, utilizados para o plantio principalmente de soja e milho na safra de verão – cerca de 90% da área – estão com cobertura de solo.

Conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a estimativa para a safra de inverno de 2020 em todo o município de Campos Novos é uma produção de 37,2 mil toneladas, nas culturas de cevada, trigo e aveia, considerando condições climáticas normais. Essas culturas são plantadas a partir de maio e em Campos Novos já está finalizada. A previsão informada ao IBGE para esse ano é de 300 hectares de cevada, 6 mil de trigo e 4,5 mil de aveia.

Fonte: Assessoria de Imprensa Coocam

Compartilhe esta postagem

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Notícias Relacionadas

Faça uma pesquisa​​

Ultimas notícias