Os trabalhos nas propriedades rurais seguem todas as recomendações dos órgãos de saúde em função da pandemia da Covid-19/Foto: Assessoria SebraeTec
Os trabalhos nas propriedades rurais seguem todas as recomendações dos órgãos de saúde em função da pandemia da Covid-19/Foto: Assessoria SebraeTec

Bovinocultura leiteira

Itapiranga assegura excelência no status sanitário do rebanho  

A bovinocultura leiteira é a atividade econômica de maior base social em Itapiranga, no extremo oeste catarinense, com 600 famílias envolvidas. Para aumentar a lucratividade do produtor, por qualidade e comprovação de sanidade, iniciaram em maio as consultorias tecnológicas, desenvolvidas pelo Programa SebraeTec. A iniciativa é do Sebrae/SC, da Prefeitura de Itapiranga e do Instituto de Desenvolvimento Regional (UCEFF-IFAI), com o apoio da Cidasc.

Os trabalhos nas propriedades rurais seguem todas as recomendações dos órgãos de saúde em função da pandemia da Covid-19 – utilização de máscara, álcool em gel e luvas descartáveis. “Por segurança é atendida apenas uma empresa rural por dia e, mesmo assim, no primeiro mês foram testados 2.000 bovinos em 23 propriedades”, avalia o prefeito Jorge Welter.

Ao todo serão atendidos 300 empresários rurais com consultorias que consistem na avaliação da sanidade dos animais, revisão dos cadastros do plantel no órgão competente, conferência do inventário do rebanho, coleta de amostras de sangue para o diagnóstico laboratorial, verificação e finalização do laudo conclusivo negativo para iniciar o processo de certificação da propriedade como livre de tuberculose e brucelose.

“A adesão ao projeto vem melhorando a conscientização do produtor, pois são doenças que prejudicam o rebanho e a saúde humana. Com a propriedade certificada o empresário recebe mais pelo leite produzido e habilita a comercialização das novilhas. Outro benefício é colocar o município em destaque no status sanitário para erradicação da brucelose e da tuberculose, zoonoses transmitidas aos seres humanos, então, também reflete na melhoria da saúde pública”, enaltece o secretário municipal de agricultura e meio ambiente Herwald Otto Trebien.

Entre os benefícios das consultorias tecnológicas, segundo o gerente regional do Sebrae/SC no extremo oeste, Udo Martin Trennepohl, estão atendimento da legislação específica; garantia de saúde pública (humana e animal); melhora no posicionamento de mercado, da qualidade do processo, do produto; segurança nos investimentos; modernização e ampliação da atividade; aumento no faturamento e diferenciação do produto/serviço. “Essa parceria, que iniciou em 2018, é muito eficaz e tem apresentado resultados excelentes, além de proporcionar segurança no setor para realizar investimentos na atividade”, complementa.

O plantel de bovinos no município é de 39.000 animais, sendo 20.400 vacas e 16.300 em lactação. Em 2018, o movimento econômico da atividade foi de R$ 85,9 milhões, sendo R$ 80,6 milhões da produção de leite e R$ 5,2 milhões da venda de novilhas. Em 2019, os indicadores são ainda mais positivos, com faturamento total de R$ 92,8 milhões, sendo R$ 87,6 milhões da produção de leite e R$ 5,2 milhões na comercialização de novilhas.

Para o consultor credenciado ao Sebrae/SC, Lazie De Col, o trabalho é importante para manter o desenvolvimento do agronegócio. “Nossa região precisa realizar ações que impactem no mercado e que ampliem a renda do empresário rural, que se sentirá motivado a continuar aplicando esses procedimentos na propriedade, a fazer investimentos e aprimorar cada vez mais sua atividade. Não se trata apenas de certificação, mas sim de levar conhecimentos ao campo”, argumenta.

RESGATE HISTÓRICO

De acordo com o gestor de defesa agropecuária do departamento regional de São Miguel do Oeste da Cidasc, Ody Hess Gonçalves, a inovação sempre foi uma das virtudes da população de Itapiranga. O gestor recorda que em 2012 foi desenvolvido, por meio de parcerias com entidades locais, um projeto piloto de certificação de propriedades como livres de brucelose e tuberculose nas propriedades rurais, como ação integrante do Programa SC Rural. “Nessa iniciativa a Cidasc era executora das atividades de campo e administrativas e, apesar de um aparente insucesso, pelo baixo índice de propriedades certificadas, tivemos um grande ensinamento de que o Poder Público, em situações específicas, precisa estabelecer parcerias”, avalia.

Gonçalves argumenta que a Cidasc é parceira do atual projeto por entender a importância da certificação das propriedades com impacto, principalmente, para os empresários rurais. “Itapiranga, provavelmente, alcançará o maior índice de Santa Catarina de propriedades certificadas como livre de brucelose e tuberculose ao considerar a proporcionalidade do número total de propriedades em produção de leite”, analisa. O gestor cita que a parceria iniciou na estruturação do projeto, estabelecendo benefícios quanto à defesa sanitária animal, a saúde pública e o desenvolvimento sustentável nas propriedades.

Na contribuição para o projeto a Cidasc realizou a estruturação da Unidade Veterinária Local (UVL) de Itapiranga com a lotação, já efetivada, de duas médicas veterinárias, de auxiliar administrativo para atendimento dos produtores e dos técnicos envolvidos nos procedimentos de certificação, ainda não efetivados devido à pandemia. Além disso, conta com uma auxiliar administrativa que foi disponibilizada à Cidasc para a realização da conferência documental registrada pelos médicos veterinários habilitados para validação da certificação da propriedade.

Fonte: MB Comunicação Empresarial/Organizacional

Compartilhe esta postagem

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Notícias Relacionadas

Faça uma pesquisa​​

Ultimas notícias